Dentes sensíveis!


A hipersensibilidade dentinária em dentes com lesões cervicais é um problema constante e crescente na clínica odontológica. A perda de estrutura dentinária na região cervical pode se dar por um processo de cárie, por abrasão, por erosão, por abfração ou pela associação de dois ou mais fatores.

Abrasão: perda de estrutura dentária por desgaste. Causa: escovação exagerada na horizontal, com dentifrícios muito abrasivos e quando existe uma exposição radicular prévia. Características: superfície dura, altamente polida, rasa, com contornos regulares e localizada na região vestibular. Tratamento: escovação leve e no sentido da gengiva para o dente, uso de dentifrícios fluorados e não abrasivos e bochechos diários com solução de fluoreto de Na à 0,05% e restaurações da lesão se necessário. Erosão: perda de substância dentária por dissolução em ácidos de origem não bacteriana. Geralmente generalizada, atingindo muitos ou todos os dentes. Causa: ácidos de alimentos (refrigerantes) e do estômago (refluxo) Características: aspecto arredondado, rasa, ampla e sem borda definida. Tratamento: redução de alimentos e bebidas ácidas. Abfração: lesão resultante de microfraturas do esmalte provocada pela flexão do dente, em função de forças oclusais mal dirigidas. Causa: má oclusão. Características: lesões se apresentam em forma de cunha, geralmente profundas e com margem bem definidas. Tratamento: ajuste oclusal e/ou ortodontia. Mecanismo de hipersensibilidade A sensibilidade pode ocorrer quando temos túbulos dentinários abertos e expostos ao meio bucal (na presença de um dos tipos de lesões cervicais descritos), causando a movimentação do líquido no interior desses túbulos gerando uma pressão sobre as terminações nervosas. A movimentação do líquido existente no túbulo dentinário pode acontecer por: - Jato de ar ou mesmo respiração bucal; - Alimentos doces; - Variação de temperatura (alimentos quentes e frios); Outras situações que podem causar sensibilidade: dente fraturado, lesão cariosa, restaurações com infiltrações.

Tratamento Geral Pode apresentar cura espontânea; Aplicação de dessensibilizante no consultório; Uso de pastas dentais dessensibilizantes;

Ajuste oclusal e/ou ortodontia; Laserterapia.

Dr. Mirelle C Martins Especialista em Periodontia e Implantodontia REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1. PEREIRA, J. C. Hipersensibilidade Dentinária. Aspectos clínicos e forma de tratamento. Maxi-Odonto: Dentística 1,2:1-24, março/abril, 1995. 2. BARATIERI, L.N. e Colab. Estética. Restaurações adesivas diretas em dentes anteriores fraturados. Quintessence, 1995. 3. BARATIERI, L.N. e Colab. Procedimentos Preventivos e Restauradores. Quintessence, 1995. 4. MONDELI, J. e Colab. Dentística Restauradora. Tratamentos Clínicos Integrados. Quintessence, 1984. 5. TODESCAN, F.F. e BOTTINO, M.A. Atualização na Clínica Odontológica: A prática da clínica geral. Artes Médicas, 1996.

#sensibilidadedentária #saúdedental #dor #gelado #gengivas #saúdegengival

Posts Em Destaque
Posts em breve
Fique ligado...
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square